quinta-feira, 1 de outubro de 2015

O que comer, então?

por Lindeberg Ventura
O que comer, então?

Hoje em dia já não é mais oportuno fazer alusão à comida colorida como garantia de boa alimentação. A quantidade de agrotóxicos, em alguns países, já são criminosamente detectados em frutas e legumes. 

Fonte: E esse tal meio ambiente?


Como aliviar, ou exterminar, a carga de agrotóxicos nos alimentos que ingerimos? Deixar de comer? Não. Este não é o caminho mais viável (mais seguro). Aliás, não é somente nos alimentos que os agrotóxicos estão presentes. Há presença deles no leite do gado, no leite materno (confira AQUI), nas águas (confira AQUI), etc. Diversas reportagens (links I) estão reafirmando os problemas nos quais há muito se destacavam em denúncias. Pesquisas já comprovaram (links II) que as medidas para combater as chamadas “pragas” utilizando-se de agrotóxicos não são bem-vindas para o organismo humano (link III). Um famoso livro, da década de 60, “Primavera Silenciosa” (dica de leitura, figura 1, abaixo), de Raquel Carson, foi uma das primeiras denúncias científicas sobre tais práticas. A autora faz um relato aprofundado sobre os perigos destas substâncias, seja para fins de combate aos insetos cujos efeitos se estendem para o meio ambiente (solo, rios, águas subterrâneas, etc.), seja para fins de combate as plantas daninhas. 

Na Europa e nos EUA as fiscalizações quanto ao uso das sustâncias, assim como, as importações de produtos alimentícios que tenham tido contanto com as mesmas, sofrem fiscalizações constantes. As leis são rigorosas e o público é consciente. Segundo consta na página do Conselho Científico para Agricultura Sustentável (veja AQUI), o Brasil também possui legislação rigorosa. Entretanto, seu público não é tão consciente assim. Convém destacar que o número de pessoas que trabalham nas fiscalizações do emprego dos agrotóxicos na agricultura nos EUA é bem maior quando comparado com a do Brasil (confira AQUI). Por este motivo, e outros aqui não discutidos, o Brasil é a “casa-da-mãe-joana”, onde qualquer empresa consegue burlar as leis e utilizar-se de artimanhas para aumentar as dosagens dos agrotóxicos, assim como, de usar produtos que foram proibidos em outros países (confira AQUI). Como aqui estes produtos não foram impedidos de serem usados na agricultura, as empresas têm livre acesso para manipulá-los. Mesmo que estejam cientificamente comprovados como perigosos ao organismos humano. 

É sabido da importância do uso destas substâncias, haja vista a necessidade do cultivo em larga escala. Contudo, se faz necessário que a legislação brasileira tenha mais apreço por tais danos à saúde do povo. Também é sabido da importância de que haja o cultivo dos produtos orgânicos a partir da agricultura familiar. 

Diversos grupos e entidades que lidam com o cultivo, sem o uso dos agrotóxicos, já se manifestam em todo o país. O exemplo disso é que aqui em Mossoró (RN) esta prática já existe. Neste início de mês podemos conferir uma destas mobilizações nas quais haverá palestras e venda destes produtos (figura 1). Também temos uma rede de agricultores da região que estão todos os sábados com produtos de agricultura familiar sendo vendidos ao lado do museu da cidade. O consumo de produtos orgânicos livres de agrotóxicos é o caminho mais sadio de mantermos nossa alimentação equilibrada com a certeza de que estamos no caminho certo, tanto na parte da saúde do corpo, quanto da parte da proteção ambiental, pois livramos o meio ambiente dos produtos nocivos.


Dica de Leitura:

Figura 2 - Dica de Leitura

                                Evento:

Figura 2 - Evento: agroecologia


Links I:
http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2015/04/brasil-lidera-consumo-de-agrotoxicos-no-mundo-e-inca-pede-reducao-do-uso.html

http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2015/06/uso-de-agrotoxico-no-brasil-mais-que-dobrou-em-dez-anos-aponta-ibge.html

Links II:
http://www.redebrasilatual.com.br/economia/2015/06/agrotoxicos-e-transgenico-podem-ser-barreira-para-exportacao-para-europa-2886.html

http://sistemasdeproducao.cnptia.embrapa.br/FontesHTML/Banana/BananaAmazonas/agrotoxicos.htm

http://150.165.111.246/ojs-patos/index.php/ACSA/article/viewFile/135/pdf

http://www.ecycle.com.br/component/content/article/35/1448-os-estragos-causados-pelo-uso-de-agrotoxicos-no-mundo.html

http://www.oeco.org.br/reportagens/25276-como-andam-os-agrotoxicos-no-brasil/

Links III:
http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/revistadireito/article/view/8280/4993#.VgvSx_lViko

http://www.scielo.br/pdf/rbso/v32n116/08.pdf

https://portal.fiocruz.br/sites/portal.fiocruz.br/files/documentos/cap_01_veneno_ou_remedio.pdf

http://pratoslimpos.org.br/?tag=reavaliacao